Logo
  • Bandeira Brasil
  • Bandeira EUA
  • Bandeira Espanha
  • Bandeira Brasil
  • Bandeira EUA
  • Bandeira Espanha

Milhões de idosos estão no mercado de trabalho

Edição do dia 02/04/2015

02/04/2015 22h10 - Atualizado em 02/04/2015 22h30
Segundo IBGE, 4,5 milhões de idosos estão no mercado de trabalho
Empresas começam a apostam na energia e na experiência dos profissionais idosos.
Facebook

Lá vai Seu Vianelo para mais um dia de trabalho. E ele levantou foi bem cedinho. Antes do despertador. “Ponho para despertar às 6 horas mas ele nunca desperta, nunca desperta”, conta Seu Vianelo Coelho Da Silva, 94 anos.

Aos 94 anos, de segunda a sábado ele está sempre fiscalizando o conserto das estradas em Nerópolis, a 30 quilômetros de Goiânia.
Vianelo: Agora eu quero aproveitar a vida. Não está certo?  
Jornal Nacional: E trabalhar significa aproveitar a vida ?
Vianelo: Quando eu morrer eu fecho o olho para descansar.

Até pouco tempo atrás a regra era essa: a pessoa envelhecia, se aposentava e ficava em casa. E aí toda experiência profissional adquirida ao longo dos anos já não tinha mais nenhuma utilidade. E foi justamente pensando em toda essa experiência que estava sendo desperdiçada que essa rede de supermercados decidiu contratar os idosos.

E 20% do quadro de funcionários já tem idade pra parar de trabalhar. O Seu Vicente, beirando os 71 anos, é pura disposição.


Jornal Nacional: Posso dizer então que o senhor mexe com eletricidade e é ligado no 220.
Vicente Goes Nogueira, eletricista: 220 fico 24 horas.
Jornal Nacional: O senhor não desliga nunca.
Vicente Goes Nogueira: Nunca desligo.

Segundo o IBGE, dos 15 milhões de idosos no Brasil, 4,5 milhões estão no mercado de trabalho. A dona Wilma já se aposentou mas nem pensa em parar.

“Eu acho que eu ainda tenho muito a oferecer ainda para a empresa”, afirma a compradora Wilma Moreira Carrijo, 65 anos.

“A introdução do idoso na cadeia produtiva melhorou o desempenho em atendimento e no relacionamento com o consumidor”, diz o diretor de marketing Tiago Damasceno.

Batom, lápis nos olhos. Uma ajeitada no cabelo e poses, muitas poses. Aos 71 anos, filhos criados, uma aposentadoria e a Eterna descobriu que não queria ficar em casa. Virou modelo.

“Nós não estamos mais na época que a vovó ficava na porta fazendo croché, conversando com as colegas. Eu sempre falo para o meu pessoal, sou igual bicicleta, se parar cai, então não vou parar”, conta a modelo Eterna Dias.

Fonte: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/04/segundo-ibge-45-milhoes-de-idosos-estao-no-mercado-de-trabalho.html